Teto de gastos no Rio é exigência jurídica e econômica para o acordo com a União

Por Fabio Graner | De Brasília

O Rio de Janeiro terá que fazer um esforço grande para convencer o governo federal a assinar o programa de recuperação fiscal sem a aprovação do teto de gastos. Além da questão jurídica, que leva em conta que há um comando expresso para a implantação do teto como alternativa a uma revisão ampla do regime dos servidores públicos, a questão econômica também pesa contra o Estado, apurou o Valor.