Advogados avaliam se proposta da Amazon subestima valor da Whole Foods

Por Paula Selmi | Valor

SÃO PAULO  -  Os escritórios americanos de advocacia Kahn Swick & Foti (SKF) e WeissLaw estão investigando a proposta de compra da Whole Foods pela Amazon, uma vez que os acionistas da empresa de alimentos receberiam apenas US$ 42 por papel detido. O SKF, que tem um dos sócios o ex-procurador-geral de Louisiana, busca determinar se esse preço e o processo da transação são adequados ou estão subestimando o valor da companhia.

O Weiss Law argumenta que pelo menos um analista tinha avaliado a ação em US$ 47 a unidade, ou US$ 5 a mais do que a proposta da Amazon. Os advogados acrescentam que a Whole Foods reportou uma receita recorde de US$ 3,7 bilhões em seu último balanço, relativo ao segundo trimestre fiscal, além de comunicar que pretende elevar a distribuição de dividendos aos acionistas em 28%. Os escritórios chamam os investidores para discutir o assunto e seus direitos.

Na semana passada, a Amazon anunciou um acordo definitivo para adquirir a Whole Foods Market por US$ 42 por ação. A operação soma aproximadamente US$ 13,7 bilhões, incluindo a dívida líquida da Whole Foods Market. O valor será pago em dinheiro.

A Whole Foods terá que pagar uma taxa equivalente a US$ 400 milhões, por conta da rescisão, caso o conselho de administração mude sua recomendação. O colegiado é favorável à aquisição.