Para economistas, Copom deveria ter nova composição

Por Alex Ribeiro | Do Rio

Os economistas Eduardo Zilberman, da PUC-Rio, e Ricardo de Menezes Barboza, da UFRJ, sugerem, em um livro que acaba de ser publicado, mudanças na composição do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central para evitar que o colegiado volte a ter um viés autocrático nas suas decisões, como chegou a ocorrer em períodos no passado. Eles defendem que o comitê passe a ter como membros apenas especialistas em política monetária, diferentemente da formação atual, que inclui diretores do BC de outras áreas, como administração, regulação e supervisão bancária.