Polícia de Londres diz ainda haver ao menos 28 pessoas desaparecidas

Frank Augstein / Associated Press

SÃO PAULO  -  A polícia de Londres informou que ao menos mais 28 pessoas das quase 60 que estavam na Torre Grenfell, o prédio residencial que pegou fogo na quarta-feira, ainda estão desaparecidas e podem estar mortas. A polícia confirmou 30 mortos nesta sexta-feira.

O comandante da polícia, Stuart Cundy, disse que levará semanas para se recuperar e identificar todos os mortos no bloco de habitação pública que foi devastado pelo incêndio. Ele afirmou também que poderiam estar no edifício outras pessoas que a polícia desconhece, o que aumentaria o número de mortos.

O chefe da polícia informou que as buscas foram interrompidas devido a preocupações de segurança, mas foram retomadas. Cundy prometeu uma investigação exaustiva sobre a tragédia. "Meu coração se dirige aos afetados", declarou.

Um minuto de silêncio

Durante a cerimônia anual "Trooping the Colour", que celebra o aniversário da rainha Elizabeth (que completou 91 anos em abril), a monarca pediu um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do incêndio que atingiu um prédio residencial em Londres, na quarta-feira. A rainha declarou que o clima nacional é de tristeza, mas que o Reino Unido é resoluto diante da adversidade. "Nos últimos meses o país testemunhou uma sucessão de terríveis tragédias", disse. "Estamos unidos nossa tristeza, estamos igualmente determinados, sem medo ou favor, para apoiar todas aquelas vidas de reconstrução tão horrivelmente afetadas por feridos e perdas", acrescentou a monarca.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que receberá os sobreviventes do incêndio em sua residência oficial, em Downing Street.

O anúncio foi feito por um porta-voz um dia depois que May foi interpelada por moradores durante uma visita a um bairro a oeste de Londres. Alguns manifestantes chegaram a gritar "vergonha de você".