A salvação da lavoura

Por César Felício

O presidente Michel Temer recebeu ontem a "boa notícia" que tanto ansiava. No fio da navalha há mais de duas semanas, o presidente acena com a economia como antídoto para a falta de opções que dispõe no plano político. Guardadas as proporções devidas, Temer tenta justificar sua permanência para que não se interrompa um suposto processo de recuperação econômica, na mesma linha do "espetáculo do crescimento" que ajudou a segurar Luiz Inácio Lula da Silva no cargo no segundo semestre de 2005 e na eleição presidencial do ano seguinte.